Privacidade: uma palavra que não existe na China

- colega, colega! Grita a faxineira do andar

- ah...? Acordo assustada. É cedo e eu não estava esperando visita

- colega, colega! Abra a porta! Diz ela, tentando entrar pela força

- espera um pouco, já vou! Grito energicamente

- colega! Ela abre a porta sem esperar os 2 segundos que eu levaria até a entrada


eu não precisei nem convidar e em instantes cinco pessoas entram no minúsculo quarto do dormitório da universidade. Nem sabia que cabia tanta gente. 


- viemos detetizar o quarto, ela explica, meio sem jeito ao ver que eu não estava em trajes de receber visitas

- fiquem à vontad... falo meio irônica, mas não consigo nem terminar e as pessoas saem. Aparentemente já com o quarto detetizado. 


Situações como essa acontecem com frequência. A noção de intimidade e privacidade na China é muito diferente da do Brasil. Aqui, o dono do apartamento pode entrar no seu imóvel quando quiser, mesmo que ele esteja alugado por outras pessoas. As faxineiras do dormitório entram e fazem o que quiserem nos quartos. A única opção é se adaptar e aceitar. 


 



Escrito por Lúcia Anderson às 23h51
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
 
Meu perfil
Lúcia A., formada em Letras, especialista em Comunicação e escritora!

Foi trabalhar em Beijing, na China, e não sabe quando (e se!) volta ao Brasil. Escreve sobre suas descobertas, aventuras e outras coisinhas mais neste espaço.

e-mail: lunachina@uol.com.br

Meu humor



Histórico